Autoconhecimento, Autodesenvolvimento E Autorrealização.
Mais importante do que conseguir a “meta” , é “quem” você se torna em busca de realizar a meta.

Tipos de Coaching

Atualmente o mercado de Coaching no Brasil tem basicamente duas vertentes: Coaching do “Ter” e o Coaching do “Ser”.

O primeiro ensina a traçar metas com base nas referências sócio econômicas para realizar “sonhos” materiais, financeiros, de posição social, aquisição de títulos, ganhando o máximo com o mínimo esforço e, ao final da vida, conseguir ter um bom lastro patrimonial para usufluir uma vida em abundância material.

Embora exista uma necessidade de valorizar a dimensão material, ela deve ser “meio” e não “fim”. Quando as metas materiais passam a ser um “fim” há grande possibilidade de gerar um empobrecimento de sentido na vida, mesmo dentro da abundância de recursos materiais. Existem muitos exemplos de artistas, políticos, empresários ricos e famosos que entram em depressão e não conseguem a felicidade genuína.

Por outro lado o Coaching do “Ser” não é apenas uma profissão, mas uma filosofia de vida na qual os profissionais embuidos de uma missão utilizam-se do método socrático para questionar valores, refinar escolhas e encontrar um sentido de vida que está além da mera satisfação dos instintos, sobrevivência material e até luxos excessivos.

O Coaching do “Ter” com fortes apelos do Marketing consegue angariar um número maior de pessoas, enquanto o Coaching do “Ser” é restrito a uma elite cuja prioridade é a construção interior iniciando pelo autoconhecimento (ferramentas da PNL), autodesenvolvimento (técnicas do Coaching) e culminando na autorrealização.

Desenvolver esforços para conquistas na dimensão objetiva do mundo, se não orientada por princípios e valores éticos pode levar a algumas distorções danosas como: decepções, abusos, descrédito, banalização de conceitos por parte do público e formadores de opinião pública.

Para o Coaching do “Ser” a meta em “Ter” é apenas um pretexto para desenvolver competências e ao final, ser uma pessoa melhor. Desenvolver a competência da disciplina, do discernimento, da compaixão, da paciência, da concentração, da justiça torna-se um tesouro mais valoroso do que a meta material alcançada.

Enquanto o Coaching do “Ter” foca em objetivos do mundo das quantidades, o Coaching do “Ser” está na dimensão da qualidade. No mundo das quantidades as pessoas têm a tendência de se desentenderem, enquanto na dimensão da qualidade as pessoas se unem e entram em harmonia.

Com o objetivo de preservar o cidadão para que ele possa discernir com clareza qual o tipo de Coaching mais adequado e utilizar da melhor forma, estamos iniciando um movimento de conscientização ética do cuidador do ser, visando criar meios de comunicar as diferenças entre os dois estilos de Coaching.