Autoconhecimento, Autodesenvolvimento E Autorrealização.

Minha história com a Neurolinguística

Em 1990 eu trabalhava no Banco do Nordeste e embora financeiramente estabelizada, com família e quatro filhos saudáveis, sentia uma inquietação, incompletude e insatisfação com vários questionamentos sem respostas convincentes, vivendo confortável materialmente, mas carente de sentido.

Sentindo-me cansada de frequentar cursos tipo “receita de bem viver” com efeito de curta duração, procurava respostas em livros de auto-ajuda, psicoterapia, trabalhos de grupo, mas sempre com a sensação de que nada que viesse de fora poderia aplacar um vazio interior que me acompanhava em silêncio.

Ao participar de um curso no BNB, ouvi falar pela primeira vez na Neurolinguística, e me encantei com a possibilidade de ter mais conhecimento a respeito do funcionamento do cérebro e como utilizar as informações para potencializar meus recursos e conseguir dirigir minha própria vida para realizar meus sonhos.

Na época apresentava baixa produtividade e não conseguia conviver de forma harmônica com as pessoas porque não conseguia viver bem comigo mesma. Queria muito mudar mas não sabia “como”. Tinha vontade de mudar mais me faltava um método.

Em 1992 participei do curso de formação na Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística em São Paulo cujos professores, Alan Ferraz e Gilberto Curry , trouxeram os conceitos da PNL para o Brasil na qualidade de alunos de Richard Bandler e John Grinder, os dois cientistas que desenvolveram estudos e pesquisas sobre o comportamento sistêmico entre mente e sistema nervoso, e sistematizaram a estrutura da subjetividade humana.

O curso aconteceu na cidade de Itatiaia, na Mata Atlântica a 1.800metros de altura, divisa entre as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, a uma temperatura de nove graus. Éramos 63 pessoas de todas as partes do Brasil.

Foram duas semanas de imersão total, sem contato com o mundo exterior e muitas revelações profundas. Descobri a superficialidade em que vivia, guiada pelos valores da massa, sem substância e na ilusão de que algo fora de mim poderia me completar. Compreendi como eu combinava as imagens e sons para gerar sensações e que minha mente era apenas um veículo para executar um plano e que nada aconteceria se eu não soubesse formatar um modelo eficiente de funcionamento. Pior do que vagar sem destino é não desenhar o destino. Vivenciei o poder da imaginação através das sinapses neurais e ensaiei meus propósitos.

Ao invés de buscar conforto e vida mansa, conclui que a função por excelência do ser humano é se fazer melhor do que já é, e que para isto é preciso elaborar um planejamento nas áreas profissional, financeira, física, intelectual, psicológica, emocional, espiritual, social e familiar. Além do mais criar um sistema de crenças que possa impulsionar as ações para concretizar os objetivos de forma científica, integrando mente e corpo alinhado a crenças e valores.

Ao retornar para Fortaleza em 1992 estudei durante dois anos, as técnicas aplicando-as em mim mesma para me certificar do efeito e em 1994, ministrei juntamente com Rose Pontes (socióloga), Francinete Giffoni (psiquiatra) e Pádua Campos (psicóloga) o primeiro treinamento com 27 pessoas, no Hotel das Flores na Serra de Baturité.

Foram dois dias de muita satisfação ao presenciar nos olhos das pessoas as transformações significativas que podem ser operadas a partir de reflexões inteligentes e dirigidas. Usar os recursos internos para encontrar a missão pessoal e viver coerente é engrandecedor, bem como enriquecedor pois traz uma interireza profunda e mais segurança para tomar decisões e resolver conflitos.

Realizei vários cursos entre erros e acertos, aprendi muito com cada aluno e criei meu próprio jeito de repassar os conhecimentos com humor, energia e ética, levando a sério o trabalho de orientar mentes a resgatarem o melhor de si e principalmente, usando metáforas e a linguagem hipnótica para ampliar a percepção para ver tudo de forma sempre nova e profunda. Trazer a consciência à tona, o simbolismo dos mistérios, o aprendizado em cada acontecimento, tem sido a minha praia favorita, minha mania fixa, quer na felicidade, quer na dor, visto que o que importa, o que gera crescimento, é saber “como” tudo está acontecendo e extrair a mensagem.

Além dos cursos abertos ao público, estendi o treinamento “in company” tanto em empresas públicas como privadas. Hoje com vinte anos de experiência continuo aprendendo a me reconhecer no outro, já que somos infinitamente um centro de possibilidades múltiplas fluindo na convivência consigo mesmo e com os demais.

Hoje assumi a missão de criar um selo, uma certificação com o objetivo de estabeler um padrão de comportamento, posturas e valores para orientar o profissional da neurolinguística a ter um diferencial de excelência no mercado, integrando competência, coerência, energia e valores éticos.

Tem gente que paga cartomante para descobrir o que vai acontecer no futuro. É fácil...se você quiser saber como vai ser o seu futuro é só me dizer o que você está fazendo hoje.

Não tem segredo e nem precisa pagar.

Eu lhe pergunto o que você está fazendo hoje para melhorar sua vida amanhã.